PREFA(S)CIO – I

In POEMAS DE BRAÇO AO ALTO, pág. 13

Nada mais livre que um livro,
quando com ele não se lucra
senão um tiro
na nuca.